segunda-feira, abril 16, 2007

Uma voz muda de porta fechada *



“Para este Palacete entram-nos diariamente gente estranha pela porta. De silêncio imposto e algemada. De semblante carregado e ameaça no olhar. São os Canalhas de Jorge de Sena. Os Vencidos da Vida de Oliveira Martins. A Geração Rasca de Vicente Jorge Silva.

Como em qualquer parte onde se nasça e se labute, escrever sobre a história de cada um é descoberta. É achamento. É o desflorar de virgens que mil gentios jamais entenderão. E analisando friamente os passos trémulos dos novos penalizados por este velho que já não tem remédio, podemos descobrir que têm medo. Podemos achar que foram parvos. Podemos entender o terem chegado ao fim da linha.

Falar-se intramuros destas coisas não é pecado. Tão pouco debater as causas desta malta que aparece é insensato. Mas estamos sós. Precisamente no dia em que o arrependimento da maior parte deles se podia fazer ouvir. Precisamente no Dia Mundial da voz. Uma voz calada e triste, é certo. Mas que podia ser escutada nem que fosse de quando em vez.”


* Escrito por "TiJoão", o nosso decano, condenado à pena máxima e sempre resguardado de embrulhadas, que convidei a escrever a visão que tem de nós e colocá-la por baixo da grade da minha cela. Por vezes também fechada.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home