sábado, dezembro 16, 2006

O indulto



"O perdão e a promessa não chegam a ter realidade: são no máximo um papel que a pessoa encena para si mesma."

Hannah Arendt, in 'A Condição Humana' - fonte: Citador



O indulto é uma proposta do Ministério da Justiça que, depois de passar pela tramitação usual: pareceres do Tribunal de Execução das Penas, director do estabelecimento prisional, Instituto de Reinserção Social, etc…, é dado a quem está a cumprir pena por prática de crime.

Todos os anos são submetidos à apreciação do Conselho Técnico, que é presidido pelo juiz do Tribunal de Execução das Penas de Lisboa, milhares de pedidos. Desde saídas precárias prolongadas até à redução ou comutação da pena.
Será sempre uma prenda apetecida nesta altura do ano. E como se viu ontem no programa da SIC, todos os reclusos sem excepção admitem que vão mudar de vida. Mas uma coisa que nunca ninguém pode alterar são os laços criados durante todo este tempo em que faz frio. As trocas e baldrocas sentimentais que qualquer ser humano possui. Até mesmo nós.
Ficam laços como lapas agarradas na alma e coração que, ao contrário do que é suposto pensar-se, todos estes gajos também têm.

Do indulto, muitos deles já o fizeram e este ano meti também o meu. Cabe ao Presidente da República decidir em conformidade.

7 Comments:

Anonymous Eremita said...

Caro Zé,como já tinha dito antes ,gosto do que escreve.
Muito poderia dizer,mas fico-me pelo silêncio.
Apenas quero desejar-lhe um Santo e verdadeiro Natal dentro do seu coração.
Cada dia é sempre novo,cheio de calor e esperança.
Do fundo do coração,desejo tudo de bom para si e todos os que aí se encontram.
Afinal deste lado também se encontram muitos prisioneiros.
A liberdade do espírito essa ninguém nos tira.
Abraços :)

12:01 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Quem sabe se esse indulto natalício não será a tua prenda no sapato?
Pelo que tenho acompanhado naquilo que nos dás a conhecer, já "merecias" estar cá fora.
E este merecias não é sarcástico. Antes pelo contrário.

saddam, o dos fados

ps - o facto de estar como anónimo é pela simples razão que não sou usuário do blogspot.

2:11 da tarde  
Blogger eduardo said...

A comformidade que se confirme no teu caso. Pode-se perder o teu blog, mas ganha-se naturalmente mais um valor de tantos que este país precisa.

Como diz o outro; "Força, Zé! Estamos contigo."

Um abraço à malta.

3:33 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

...e a prisão do espírito, também ninguém nos tira...já te disse uma vez que sou presidente de uma coisa, até podia escrever com maiúscula, mas gosto mais de minúsculas, são mais simpáticas, e depois descobri que presidente e presídio têm a mesma origem etimológica...

(PS: mas parece que vou livrar-me disso em breve, passo a vice, para não desamparar completamente os costados de quem em mim confia - ou seja de cavalo para burro - só que desde miúdo que gosto muito de jericos, mais ainda desde que li o "animal farm", entre nós traduzido pelo "triunfo dos porcos", jerico avisado..., além de que possuem olhos meiguinhos e um inegável equipamento de interesse público :)

abraços e boa sorte, eu finalmente estou livre da praga das prendas de Natal, gosto muito de dar presentes, mas sem datas institucionais

py

7:37 da tarde  
Blogger MCP said...

Boa sorte e as melhores festas possíveis para todos!

7:06 da tarde  
Blogger Tânia said...

Eu começo pelo abraço, desejo boa sorte no perdão. Este é algo que treino para conseguir no dia-a-dia a cada farpa que me chega. Nem que seja à distância lá vou conseguindo, apesar de várias tentativas-erro, fazer com que os meus perdões/indultos não se concentrem nesta quadra do ano, não se fiquem no papel e alarguem o horizonte das promessas.
Fico contente que o "meu" espírito (natalício, pois então) já esteja aí e com bela encadernação.
Boas leituras

PS - cumprimentos ao anónimo presidente; gostei do texto!

11:07 da tarde  
Anonymous Leonor said...

O Dia mais belo? Hoje
A coisa mais fácil? Errar
O maior obstáculo? O medo
O maior erro? O abandono
A raiz de todos os males? O egoísmo
A pior derrota? O desânimo
A primeira necessidade? Comunicar-se
O que mais lhe deve fazer feliz? Ser útil aos outros
O maior mistério? A morte
O nosso pior defeito? O mau humor
A pessoa que nos é mais perigosa? A mentirosa
O pior sentimento? O rancor
O melhor presente? O mais belo que possamos dar : o perdão
O bem mais imprescindível? O lar
A rota mais rápida? O caminho certo
A sensação que nos é mais agradável? A paz interior
A maior satisfação? O dever cumprido
O que nos torna mais humanos, mais tolerantes? A dor
Os melhores professores? As crianças
A força mais potente do mundo? A fé
A mais bela de todas as coisas? O amor... sempre o amor

9:05 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home