sexta-feira, abril 27, 2007

O estado da nação



Enquanto esperamos o relatório da subcomissão parlamentar (três meses? três anos? três décadas?) sobre “os finalmente” a que vão chegar sobre o estado das prisões portuguesas, podemos ir fazendo um esforço na comparação - mesmo que superficial - com o estado do país. E ao ouvir atentamente os discursos comemorativos do 25 de Abril, ou mais recentemente o debate mensal na AR com o PM, rapidamente chego à conclusão que a coisa pública não está melhor nem pior que nós, antes pelo contrário. E têm rosto. “Dão” na televisão, vêm nas notícias da manhã e abrem os telejornais.

Sarcasticamente ou talvez não, até os piores intrujas que dormem aqui dentro, e são minha diária companhia, “têm” o seu partido, o seu clube, as suas próprias ideias quanto ao funcionamento de uma sociedade que se diz livre. Ou melhor, retratam-se nas pessoas públicas, movimentos cívicos e gangs. Numa palavra; conotam-se. Sobretudo com a última.
Sabemos que os exemplos a que me refiro não são propriamente conhecidos do grande público. No entanto, se eu aqui escrever que Fulano de Tal está condenado por furto, extorsão, várias ilegalidades financeiras ou uma simples posse ilegal de arma de fogo e é militante do partido xis, é claro que os órgãos soberanos da direcção da força partidária em causa aprestam-se a desmentir qualquer vinculação a tal prova.
Da mesma forma estarei à vontade para afirmar que o mesmo se passa no mundo futebolístico, nas empresas prospectoras do mercado imobiliário/construção, nos accionistas maioritários dos novos projectos e nos grandes grupos económicos. Isto é verdade. E recuso-me por um dia a não ter que recorrer às notícias da comunicação social ou dos blogues para o provar.

Numa consequência final, e por muito que me esforce, ainda não percebi onde falhei no golpe que queria dar. A sério. Provavelmente falhei nos meios e nos recursos. Nas técnicas habilidosas que agora tanto se fala, visto que outros às claras e mais notórios neste Portugal de que tanto gosto, fizeram e fazem bem pior e continuam imunes.

Deve ser um problema de Justiça.
Ou na melhor das hipóteses, do estado da nação à qual a malta livre aí por fora continua agrilhoada. Ou conotada.

Nada melhor que um Benfica - Sporting para acalmar as hostes.

6 Comments:

Anonymous Maria said...

Há pessoas neste país que sabem que sempre ficarão impunes de todos os crimes que cometem. A nossa democracia não passa de uma ilusão. Não pode haver Democracia onde não há Justiça.
Compreendo a frustração dos que se encontram aí a assistir ao circo cá fora. E cada dia aparecem mais palhaços...

3:04 da tarde  
Blogger peciscas said...

Se calhar, a grande diferença é que eles leram o Manual das Boas Práticas...

5:16 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

não pretendo ser desagradável e compreendo que não me respondas a esta pergunta.
Mas que crime cometeste para estares aí?

cumprimentos

Spencer

10:19 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Olá Zé et al! Adorei esta: 'Numa consequência final, e por muito que me esforce, ainda não percebi onde falhei no golpe que queria dar'!

Deixa estar eu então é 'e por muito que me esforce, ainda não percebi onde falhei no golpe que não queria dar', o que ainda é mais estonteante.

mas olha isto está tudo certo lá no fim, eu sei que parece cruel dizer isto, mas entre homens é assim.

o estado e o desafio correspondentes são os adequados para o nosso 'crescimento' no contexto. Temos é que fazer por isso e confiar que assim é, mesmo que ninguém acredite em nós, nem às vezes nós próprios. Depois ainda há os amigos. Respira fundo, sente o prazer do oxigénio a inundar os teus pulmões, ele é feito de borla pelas plantas. Um abraço

py

12:35 da tarde  
Blogger Entre linhas... said...

Através de outros labirintos vim para aqui,observei,gostei do que li e eis que deixo o meu testemunho.

Em primeiro lugar o título do blog é super original,em segundo o contexto do post é muito de acordo com o que se passa,muitas vezes a lei vigente não é devidamente aplicada,daí se dizer que a lei é cega.

Bom ínicio de semana

Bjs Zita

10:51 da tarde  
Blogger Zé "Prisas" Amaral said...

Continuaremos a apreciar os comentários e testemunhos que nos deixam por aqui os nossos ilustres visitantes.

No entanto, existem determinadas questões que apenas por e-mail poderemos responder.

Um abraço a todos da rapaziada.

10:08 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home