terça-feira, abril 24, 2007



Sabemos de fonte segura que a subcomissão parlamentar de Justiça e Assuntos Prisionais, presidida pelo deputado Ricardo Rodrigues, iniciaram visitas de estudo a estabelecimentos prisionais com vista a elaborar um relatório final a entregar ao próprio Governo sobre as condições actuais das prisões portuguesas.
Para nós não é novidade. A novidade seria que de uma vez por todas se chegasse a conclusões reais e se pudesse melhorar o “ranking” em que nos encontramos nos Relatórios do Conselho da Europa em relação a esta matéria.

Na situação actual do país, todos nós sabemos que a questão de melhorar os Serviços Prisionais é melindrosa. Para além da (in)capacidade financeira existe pouca vontade política, como referiu António Pedro Dores, membro da direcção da Associação para o Desenvolvimento Contra a Exclusão (ACED) em declarações a que tivemos acesso.
Não os condeno. Sempre assim foi, e continuará a ser, devido ao facto de sermos considerados excedentários. Disponíveis. Gente de terceira categoria. Gajos que eles querem que se fodam. No entanto, quando se fala nestes assuntos em corredores ministeriais, ao contrário do que vem escarrapachado na comunicação social, a matéria é de pouca relevância e, em alguns casos, é mesmo tabu.

Querendo fazer passar a ideia de que se está a fazer os possíveis e os impossíveis para que uma reconversão da tendência que se agrava dia após dia nas condições prisionais se consiga anular, estão a ir pelo pior caminho pois auscultam as pessoas erradas. Nós sabemos isso e alguns Serviços também. Mas isso agora, como diz a outra, não interessa nada. A malta desenrasca-se.

O importante mesmo são as melhoras do Eusébio e a valorização da nossa auto-estima por todos os meios que possamos ter ao nosso alcance, pois pode acontecer que seja uma das saídas mais sérias para nos podermos reintegrar o mais rapidamente possível
Seria o nosso 25 de Abril.

5 Comments:

Blogger Cláudio said...

De facto, a questão Eusébio é de fulcral importância para a nação...

11:27 da tarde  
Blogger Thita said...

É complicado, não é?
Nós na Escola temos o mesmo problema, mesmo que sejam situações diferentes.

De qualquer das formas, gostei de saber que se desenrascam, hihi...
E estou a pensar que o Zé "Prisas" Amaral dá uma boa ajuda.
Pela forma de escrever... vê-se que é letrado ou coisa assim.

ps - Agradeço a lembrança no meu aniversário.

Beijinhos a todos.

12:06 da tarde  
Blogger Grilinha said...

Há algum tempo que não visitava os blogs amigos.
Peço desculpa pela ausência mas a saúde tem andado arredada destas bandas.
Espero que este teu texto seja uma gota a juntar a tantas outras pelo país fora e que alguém faça algo de positivo.
Pouco que seja já será uma vitória.
Um abraço e bom feriado.

3:24 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

... para a auto-estima têm aqui mais um abraço, e posso dizer que é syncero. Zé, o que tens feito por aqui tem por certo contribuído para esse movimento, chama-lhe humanista, à falta de melhor, para segundas e mesmo terceiras oportunidades para todos. Se for segundas é melhor. Vais colher do que semeaste, e por extensão todos os compinchas que te inspiraram.
Lembro-me daquele abraço bonito dum post há muito tempo. Não tens isso cá fora, pá!

py

8:46 da tarde  
Blogger SA said...

mesmo assim ha muito preso que tem boas condições... ate tv na cela. concerteza que a maioria não goza desses privilégios

5:01 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home