quinta-feira, maio 03, 2007


Alcoentre

Entre o levantamento na lavandaria da roupa lavada e o adiantamento do descascar das batatas para a refeição seguinte fomos ouvir o debate entre Ségolène Royal e Nicolas Sarkozy.

Tal como os austríacos que gostam de ouvir Fado, também não percebi peva das palavras que foram ditas. É como estar a ver o jogo Milan-Manchester relatado por um locutor coreano. Por isso limitei-me a seguir le débat em visionamento gestual, e com a sensibilidade que os sons por elas transmitidas podiam traduzir. A conclusão final a que cheguei, para mal dos imigrantes e outras fatias da sociedade menos prósperas, é que o “homem” no domingo vai ganhar.

Depois de ver estas duas horas e tal de seca, o pensamento redireccionou-me para outros lugares. Lugares onde estão a ter lugar proibições, liberdades ameaçadas e coisas do arco-da-velha. Pensei na nova lei do tabaco, nos delatores da Função Pública, no Alberto João, no Carmona Rodrigues (que a esta hora deve estar a ser ouvido) e no Benfica. Coisas que por ora não nos preocupam mas que podem ser um embaraço quando aí fora.

É curioso pensar que nós, algemados-amarrados-gradeados, tenhamos maior liberdade de escolha e de respeito para o bom funcionamento desta “sociedade” desaconselhada em relação a essa outra que se destina a criar, ensinar e desenvolver.
Há qualquer coisa que não bate certo. Estarão a ficar rebanho dum novo Pastor, ó malta? Ou será que "O corpo humano como nunca o viu..." estará a germinar entre nós?

O que nos vale é que já estamos a trabalhar para o novo projecto: Alcoentre. “Um dos maiores estabelecimentos prisionais do país”, segundo classificou José Conde Rodrigues, secretário de Estado da Justiça.
É para lá que vamos em 2009 e nos despedi-mos dos vizinhos. Já com saudade, mas na certeza que estaremos melhor lá dentro.
Penso eu.

4 Comments:

Blogger Ana said...

Mesmo sem traduções, os gestos são o suficiente para entender quem é o vencedor de um debate. Quem estuda esta coisa da "Comunicação" fica sempre com a sensação que os candidatos nunca se preparam como deveriam para os debates... Um bom ensaio não faz mal a ninguém!

5:49 da tarde  
Blogger peciscas said...

Deixa lá que, se calhar, a maioria das pessoas que veem estes debates, verdadeiramente não os ouvem.
E há estudos que dizem que eles não adiantam nem atrasam em termos das decisões na hora da votação.

5:42 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

pois olha pá, eu também vi o debate e percebi quase tudo e eu não consigo deixar de ter esperança que a França eleja no domingo a Ségo, para surpreender o mundo de várias maneiras. mas posso estar enganado, pois claro.

py

7:11 da tarde  
Blogger peciscas said...

Tenho, lá no meu espaço, uma pequena homenagem a estas "Memórias" que me fazem pensar.

12:20 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home