domingo, agosto 05, 2007

A fuga



Domingo é um dia de fuga. Dos que fogem ao trabalho e da cidade. Dos que fogem ao sistema e aos impostos. Dos que fogem à rotina e depois batem com os costados às nove da noite nas celas de apresentação que temos por aqui. E foi precisamente num domingo que Deus fugiu depois de se ter apercebido que a Obra estava feita, segundo consta. Tal como os prisioneiros aliados da 2.ª Guerra Mundial o fizeram no Estádio Colombes, em Paris, no que os alemães julgavam ser mais uma jogada de propaganda nazi e se traduziu num embaraço que Karl von Steiner teve dificuldades em explicar.

A nossa fuga ao domingo tem outra vertente; fugimos às tarefas e temos rancho melhorado. Vestimos de lavado os sonhos e sentimentos, visto a maior parte desta malta estar de perto com a família. E é giro, e ao mesmo tempo angustiante, garanto. E por uma questão psicológica e social, já nos apercebemos que toda a gente gosta de fugir. Até os tipos que escrevem em blogues.

Nós sendo regra, somos os únicos que podem fugir à excepção; precisamente porque é difícil fugir daqui e talvez a fuga possível seja aquela daquilo que somos.
Por isso, escrevemos ao domingo.

4 Comments:

Blogger Elipse said...

este que nos dás a ouvir hoje foi também um exemplo de fuga... ou não?

9:31 da tarde  
Blogger Tânia said...

às vezes ao domingo fico com o síndroma de fim de fim-de-semana. Hoje aconteceu-me isso. Fugi para os blogs para fugir ao síndroma.

10:59 da tarde  
Blogger Liliana said...

Agradeciamos que nos ajudassem a divulgar esta causa:

http://www.petitiononline.com/alviela/petition.html

Assinem! Obrigado

2:10 da tarde  
Blogger Zé "Prisas" Amaral said...

* Claro, Elipse. Perspicácia e observação não faltam.

* Por vezes é uma fuga que compensa, Tânia.

* Já o fizemos, Liliana. Não tem que agradecer.

12:22 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home