segunda-feira, janeiro 15, 2007

Quando os lobos uivam



"A noite ausenta-nos mas protege.
Fica escuro e frio para vermos as coisas às claras. Dá-nos o ânimo que não temos durante as horas e dias pardos que afligem qualquer tipo que se queira pirar daqui. Apetece por vezes matar só por querer. Ou estrebuchar por não saber viver como eles querem. Tentar sozinho aquilo que só os lobos perseguidos sabem fazer."

"Alcântara", 19 anos, que não encaixa a pena que levou.



Isto dos blogues é muito giro, muito proveitoso por vezes, mas traduz também um estado de espírito de quem está sentado em frente a um ecrã que não diz nada.
Apenas se nota o fecho ou abertura da alma de quem escreve. Ou de quem lê, e não tem coragem de fugir do teclado. Afinal, é uma mera chamada de atenção. Uma voz. Um grito de alerta para alguma coisa que não está a correr bem e acende como um semáforo. “Está vermelho!”... tem calma. “Verde?”, pode passar. Mas entretanto faltam cores aos alertas que ninguém vê. Sinais sonoros que ninguém ouve. E as putas das passadeiras são sempre listradas em cal que ainda por cima é sempre branca.

De quem sabemos serem mediáticos é mais simples percebermos. Dão-nos a visão daquilo que os seus olhos distraídos relatam aos dias seguidos que contamos. O invés da questão é daqueles de quem desconhecemos o paradeiro, o poiso, o púlpito de onde nos querem dizer coisas. Aí, a coisa soa mais íntima. Personalizada por vezes.

Sucede aqui a mesma cena. As feridas de doenças que todos temos. Frustrações e desvios que a folha de ordenado de magistrados e defensores oficiosos não comprovam. Descontos que a solitária não compensa ou reembolsa. Tragédias pessoais que não cabem nos parágrafos que se escrevem por aqui. No entanto, consigo ver dor e amargura numa população que está votada ao ostracismo. Consigo ver raiva e revolta em cada esquina do Palacete que já era. Tento perceber o que nos move e movimenta: quase nada.

Isto de se estar preso é fodido. Mas o que mais atormenta é não saber se estar liberto será melhor.

8 Comments:

Blogger Estranha pessoa esta said...

A última linha revela todo um estremecer de entrelinhas.
Sou leitora diária... e estremeço sempre aqui!


Um abraço grande.

2:37 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Boa! Se der para verem aí o Apocalypto...

um novo começo

py

6:53 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Zé, olha aqui:

http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1282599

py

1:22 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Zé, olha aqui:

http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1282599

py

1:22 da tarde  
Blogger Zé "Prisas" Amaral said...

Estranha pessoa esta, talvez seja por ter uma sensibilidade apurada. Mesmo aos mais duros que aqui vivem dentro já vi alguns com ligeiros estremecimentos.

A malta retribui com outro abraço.


Py:
vamos ver se dá p'ra ver (rs).

Quanto à notícia do Público não sabemos como havemos de a classificar. Dos políticos, não é de esperar nada de razoável e franco. Soa-nos a qualquer coisa que já vimos em outras paragens. Mas deixa lá ver...

Um abraço da rapaziada.

7:06 da tarde  
Blogger MCP said...

As palavras do 'Alcântara' são dos textos mais bonitos que tenho lido nos últimos tempos.

7:53 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Não era sobre o conteúdo que nem li. Era para veres (em) o ícone do v. blog lá em cima à esquerda.

abraço

py

10:43 da tarde  
Blogger Zé "Prisas" Amaral said...

É mais uma prova que a Net é livre, Py.
Não se poderá pedir uma indeminazãozita por abuso de imagem? (rs)

1:06 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home