segunda-feira, maio 07, 2007

Um olhar pela cidade



Pelos muros, futuramente esventrados de quem ainda cá mora, olhamos pelas últimas vezes a cidade. Não tardará muito guardar os sons que ouvimos. Cheiros e memórias. Luas novas e cheias com encantos que não foram condenadas ao degredo como nós.
E falar da vida numa reclusão, como algures já referi, é fácil. O difícil é traduzir o que se sente nas noites e dias que passamos. As experiências que tivemos. Contar o que obtivemos ou ganhámos.

Supostamente, qualquer um de nós representa uma fase da vida menos boa. Podemos ilustrar até uma espécie de retrato social no pior sentido. No entanto, por detrás de corpos musculados e de tatuagens desenhadas, descobre-se o género humano. Um sorriso ténue de criança com muitos anos de castigo. Um propositar constante de estarmos livres, mesmo que o cenário das grades e corredores sem fundo nos provem o contrário.

Sábado passado, os reclusos do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira provaram-no.
O auditório da Biblioteca Municipal Prof. Vieira Dinis encheu-se para receber a peça “Branco Preto Branco” numa homenagem a Ruy de Carvalho, e tal como tenho defendido, todos foram unânimes em declarar que faz sentido dar uma oportunidade a muitos destes gajos. Queiram eles agarrá-la.

Do outro lado desta cidade, outras vozes nos chegam em forma de coisas simples. É o caso dos reclusos do Estabelecimento Prisional Regional de Setúbal que, como referi num dos posts abaixo, ganharam um aliado de peso: o Instituto Português do Livro e das Bibliotecas.
Pela mão de Miguel Horta aqui publicamos o primeiro trabalho que nos chegou. "Mário" é o autor duma receita especial. Daquelas que, com tempo, poderemos servir à mesa de qualquer pessoa de bem.



Desenho de Miguel Horta

RECEITA DA AMIZADE

Ficha Técnica

 Custo: Elevado
 Grau de Dificuldade: Elevado (A qualidade dos ingredientes pode fazer diminuir o grau de dificuldade)
 Tempo de preparação: Não determinado
 Número de comensais: Não determinado, mas é normalmente um prato servido a um número restrito de pessoas

Ingredientes

 Lealdade: 100%
 Honestidade: 100%
 Tolerância: Muita
 Diálogo: Quanto baste
 Corantes: Irrelevante

Recheio

O recheio deve ser adicionado de acordo com os comensais, mas com cuidado necessário para que não altere o sabor. Um recheio despropositado ou confundido, pode provocar indigestões graves.

Ingredientes para o recheio

 Paixão
 Amor
 Religião
 Política
 Sexo

Preparação

Num tabuleiro untado de alegria e polvilhado com boa vontade, junte a honestidade à lealdade. Acrescente a tolerância e misture bem. Quando o forno estiver quente, adicione o diálogo e deixe cozinhar em lume brando.
Enquanto a amizade coze, pode tratar de outros assuntos. Se o prato se queimar não se preocupe. Com ingredientes de qualidade recupera-se o prato rapidamente e, não raro, apura.

Apresentação

A gosto. Servir sem moderação e sempre que sintamos fome.

NOTA
Não congele nunca o prato. Mantenha-o morno em banho maria para que o sirva em qualquer altura.

Bom apetite ! ! !

15 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Não foi por acaso que ao saber disso o pensamento veio parar aqui.

Lembrei-me logo dessa malta que trazes ao conhecimento geral de quem por cá espreita.

Pouco a pouco a coisa vai, Zé.
E uma das formas é precisamente essa das receitas que toda a gente sabe de cor mas que esquecem de confeccionar.

Fica um abraço do,
saddam, o dos fados

7:38 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

ahaha, muito inteligente! abraços

py

8:47 da tarde  
Blogger gaivina said...

Vou tratar de fazer chegar ao pessoal da margem sul a reacção aqui neste Blog: Eles merecem!

11:01 da tarde  
Blogger gaivina said...

Este assunto também em: http://vozemfuga.blogspot.com/
http://pedroboavida.blogspot.com/

11:13 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Deixa-me cá dar uma pata aos meus irmãos: pessoal, toca a fazer pelo que está abaixo, se acharem bem, baixa a despesa pública nos medicamentos, curativos e outras coisas

http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=806088&div_id=291

vou bazar uns dias, ein little mission, quando é assim não costumo andar na net

abraços

py

9:08 da manhã  
Blogger brincalhao said...

Épá grande josé prisas ai ai na EPL tens muito tempo es o maoir, gostaria de poder ir ai e para começar a escrever um livro, como o vale e azevedo fez como posso contactar a tua pessoa.

10:51 da manhã  
Blogger brincalhao said...

ÉS o mais,José prisas naõ sei qual o teu crime,mas na E.P.L devias ser um bom professror para os outros reclusos força josé e diz-me como posso fazer-te uma entrevista

10:55 da manhã  
Blogger gaivina said...

estou a gostar da reacção aos escritos...

1:27 da tarde  
Blogger SA said...

fantástica essa receita, criatividade em alta!

5:40 da tarde  
Blogger eduardo said...

Zé, dá-me ideia que estabeleceste contacto em primeiro grau, hehe...

Parece-me um bom início para uma troca de experiências a nível da malta que está "dentro". Chegam-se mais ao pé de nós e podemos saber mais sobre o que pensam e quem são.
Também nunca me interessou o que fizeram, como diz o Miguel, e muito bem. O facto de estarem aqui já é muito importante.

Um abraço a todos. Setúbal incluído, pois claro.

7:30 da tarde  
Anonymous Miguel Horta said...

Nada me poderia deixar mais feliz do que esta manifestação em "cadeia" pela Blogosfera.
Também se comenta no blog de Hipatia (Voz em Fuga)...
É muito importante que estas iniciativas tenham sucesso pois arrastam atrás de si outras instituições prisionais e convencem a tutela da importância da escrita como factor libertador do ser humano. Sobretudo devolvem uma humanidade criadora a quem está detido, proporcionando reflexão e desenho de novos caminhos.

9:13 da tarde  
Blogger claire said...

Os ingredientes estão óptimos mas o recheio dá-me indigestão ,tenho o estômago fraco , que só se aguenta com recheios de azuis e todos os seus tons ,vermelhos laranjas amarelos uma pitada de verde e jamais preto .

8:35 da tarde  
Blogger gaivina said...

De facto, cada um de nós tem o seu modo de gerir a amizade e de a cozinhar da melhor maneira... Importa é que seja saborosa...

2:20 da manhã  
Anonymous Mário said...

Ao Zé um grande abraço e o reconhecimento pelo excelente trabalho neste blog. Sou o Mário da "Receita da Amizade". Escrevi-a no EP Setúbal e foi aqui publicada pelo Miguel Horta (g'anda homem!). Tou fora, com pulseira electrónica e vou a julgamento em Dezembro.
Não deixes morrer este blog. Vou actualizar-me nestas andanças cibernautas e dar o meu contributo sempre que for caso disso.
Mário

1:56 da manhã  
Anonymous Macua said...

Espero que seja o ponto de partida para mais "escritos". Vou continuar a visitar o site. Ao Ze obrigada, deu-me a oportunidade de ler palavras bonitas de uma pessoa que quero muito bem.
Miguel Horta bem haja.

9:35 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home