domingo, fevereiro 18, 2007

Disfarces e folias


Desfile na Av. da Liberdade - 1905

Quando na segunda metade do século XIX os engenheiros responsáveis pelo projecto e construção do Palacete (EPL) durante os anos 1864-1885, talvez não imaginassem que um dia um recluso falasse, ou escrevesse, sobre eles e estes erguidos muros, cento e tal anos depois.

Muito menos sobre o regime penitenciário daquela altura onde era absoluta a separação dos condenados entre si, sendo a cada um destinada “uma cela em que tinha de habitar" e que os presos a cumprir pena de prisão maior e celular que não fossem declarados incapazes, "seriam obrigados a trabalhar dentro da respectiva cela, ou em compartimentos adequados para esse efeito".

Os reclusos receberiam ainda instrução para o exercício de uma profissão fora da cadeia, instrução primária e instrução moral e religiosa. Os exercícios físicos quotidianos, a efectuar nos pátios ou dependências da cadeia, deveriam assegurar que os reclusos "não tivessem entre si comunicação alguma, nem pudessem conhecer-se".

Fundamental para manter a incomunicabilidade dos reclusos, que "não poderiam, sob qualquer pretexto, ver-se nem comunicar entre si por escrito, por palavras ou sinais", era a utilização por estes, fora das celas, de "um capuz que lhes encobria o rosto e que não poderia ser levantado senão nos pátios de passeio, no anfiteatro da capela, ou em outros lugares em que não estivesse presente outro preso". O mesmo valendo para os reclusos ocupados "em serviços ou trabalhos, fora das celas", que não poderiam "dirigir-se por palavras ou gestos aos presos que se ocupem no mesmo serviço, ou que estejam próximos". *

* (Regulamento Provisório da Cadeia Geral Penitenciária do Distrito da Relação de Lisboa, Decreto de 20 Nov. 1884. Texto baseado num trabalho de pesquisa efectuado por José Carlos Mendes


É usual dizer-se que a vida são dois dias e o Carnaval são três. Isso alterou tudo.
Joaquim Júlio Pereira de Carvalho, Luís Victor Le Cocq e Ricardo Júlio Ferraz, são três dos pais desta instalação que já podem descansar os ossos.
Os nossos... esses, ainda têm um longo desfile a percorrer.


Nota de rodapé na dica do nosso amigo Py:
Pode ir acompanhando as diversas inicativas e eventos de reclusos em vários pontos do país no link abaixo mencionado

Direcção-Geral dos Serviços Prisionais

10 Comments:

Blogger Sandra said...

Olá! Chamo-me Sandra e já tinha ouvido falar do vosso blog e hoje consegui arranjar um tempinho para vos vir visitar.
Em 1º lugar quero dar-vos os parabéns pela coragem e disponibilidade de fazer uma coisa interessante e com tanto tacto.
Depois como também tenho um blog http://bluestrass.blogspot.com/ e todas as semanas na rubrica "Por blogs já antes navegados" dou sempre a sugestão de quem me visita, visitar um outro blog, esta semana deixei o vosso endereço.
Continuem com o vosso trabalho.
Com os melhores cumprimentos.
Sandra

11:22 da tarde  
Blogger A. João Soares said...

Ocupar o tempo de maneira equilibrada ajuda a fortalecer a personalidade e a preparar dias melhores. A limitação a um espaço reduzido pode incitar ao pensamento mais refinado, à cultura, ao aumento do saber.
Desejo que continuem a focar temas interessantes entre vós e para quem vos visita. Que o tempo vos seja leve, o mais possível
A J S

7:13 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

olá pessoal! Consolem-se meus, estou preso em casa há dias com uma dor-de-garganta, febrinha e etc., e como vivo sózinho (que é para estar livre de trazer cá quem quiser e quando quiser...) agora tou f*dido...que é para não aprender! que eu já me conheço...

Tens aqui um blog de um amigo meu, Zé, eu só o conheço virtualmente, ele pediu-me para colaborar e eu ainda ando a pensar, já disse que não a outros 5 blogs, mas este é um rapaz e não quero magoá-lo, ando a ver como vai ser.

http://omelhoramigo.blogspot.com/

abraços pó pessoal

py

7:50 da tarde  
Blogger aitb said...

incomunicabilidade... uma palavra terrível...

au revoir!

:)

2:58 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

(aitb, desculpa meter conversa, é só para dizer que é tão engraçado esse bichinho que aí tens e que come avelãs; mas não prece um esquilo. Tem nome? :)

py

4:56 da tarde  
Blogger Grilinha said...

Há algum tempo que não te visitava.
A saúde tem andado de rastos e eu tb.
Hoje coloquei a leitura em dia e agradeço-te este post em especial pela informação histórica que o mesmo comporta.
Um abraço (suave mas caloroso).
Até um dia destes.

12:30 da manhã  
Blogger Zé "Prisas" Amaral said...

É o que tentamos fazer, João Soares. Também fazer que o tempo cativo possa ser o melhor aproveitado possível. Daí, a permissão especial para a feitura deste espaço.

*

Py, estimamos as melhoras, rapaz. (rs)
Quanto ao teu amigo (a gente já lá vamos), sou da mesma opinião. Se te convidou é porque sente que és um camarada com quem se pode contar.
Tal e qual como nós te "vemos".
Mas da tua liberdade de expressão faz o que melhor entenderes.

*

Há piores, aitb. Há piores...

*

Sempre bem-vinda, Grilinha.
E trate da saúde em primeiro lugar. Por acréscimo, virá de seguida dias melhores.
Assim esperamos, porque dias maus temos nós todos.

10:43 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

http://www.postalescachondas.com/tarjetas/create.php?card_id=853

py

9:03 da tarde  
Blogger aitb said...

Pois.. eu sei q há palavras piores.. mas a incomunicabilidade... esconde-as mtas vezes.. é por isso q para mim é uma palavra terrível... compreendes?

py.. yep, é um eskilo pré-histórico.. é o scrat da idade do gelo.. pq? pq o acho divertido. :P

au revoir

10:29 da tarde  
Blogger arturibeiro said...

eia...
como se coloca as letras em movimento? Gostava de fazer igual? Dá-me uma dica?

6:11 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home